MARCOS TEXTOS

"Guardo em mim tantas coisas, acaso me perca, me encontrarei dentre elas"

Textos

*Dia desses estava eu de bobeira numa padaria passando zóião por tudo quanto era coisa boa, guardadinha dentro das gondolas e do balcão.
Esperava a minha vez de ser atendido, o cheirinho era pra matar de fome, até que a moça (funcionária) grita:


-Próximo.......
Por educação cedi minha vez a uma senhora que havia chegado depois de mim.
Ela agradeceu a gentileza  com um sorriso (...disse que não tinha de quê a ela)  e a mocinha do balcão pede então que a senhora faça o seu pedido:


-Pronto, em que posso servir? 

A tal senhora com os dedos aponta para o que quer dizendo:

- Moça eu quero aquele pedaço de NEG......... (...e eu ainda com meu zóião arregalado e atento ao pedido)

A mulher pára em seco no que ia dizer e numa daquelas coisas que só brasileiro é capaz (malandragem pura), dá uma volta e tenta consertar o pedido, dizendo:

- Minha jovem eu quero um pedaço daquele

"AFRO-DESCENDENTE DO SEXO FEMININO QUE SOFRE DE UM TRANSTORNO OBSESSIVO  DE LUCIDEZ E PARECE TER UNS PARAFUSOS FROUXOS OU A MENOS,  NA CACHÓLA" !

Agora, é a mocinha da padaria  quem fica sem saber o que pensar e após uns segundinhos meio atônita diz a funcionaria:

-NEGA MALUCA? 
É isso que a senhora quer?


E a senhora olhando pra mim e pra minha pele (...eu, ainda com meu zóião esbugalhado) confirmava, desconfirmava:
-Sim! Não! Sim!..., diz a senhora!!

Então vi que tinha que intervir naquele negócio:

-Dei minha vez pra senhora, até confesso que "tô" com um pouquinho de pressa...
...porquê não disse logo que queria aquele
pedaço de NEGA MALUCA, minha senhora?
 
Marcosvi
Enviado por Marcosvi em 29/09/2018
Alterado em 29/09/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras